Home Dissertações Defesas 2015
Turma 2013
Carla Rafaela Lemos Sales
Seg, 14 de Setembro de 2015 14:30

Carla Rafaela Lemos Sales

DESEMPREGO E QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL EM PARAUAPEBAS NO ESTADO DO PARÁ.

Orientadora: Prof.ª Dr.ª Adriana de Azevedo Mathis.

Resumo: Esta dissertação tem como objeto de estudo o desemprego entre trabalhadores que estão submetidos a processos de qualificação profissional pública. Tem como objetivo analisar a relação entre o crescente número de trabalhadores desempregados e a presença marcante da empresa transnacional Vale no município de Parauapebas. A pesquisa foi orientada metodologicamente pelo método crítico-dialético no intuito de ir além da aparência do fenômeno, e apreender como as tendências internacionais, nacionais e regionais associadas a realidade sócio histórica da região influem na particularidade do desemprego e da qualificação profissional de Parauapebas. Dentre as conclusões possibilitadas, destacam-se nos três capítulos que: as tendências no mundo do trabalho refletem o processo de precarização social do trabalho, destacando-se no município a informalidade, empregabilidade e feminização do trabalho que corroboram para o aumento do desemprego. Dessa forma, configuram-se em discursos e conceitos ideológicos que preveem o atendimento das necessidades de lucratividade do capital. Ao se verificar os rebatimentos do processo de precarização na Amazônia, percebe-se a funcionalidade da região à acumulação do capital e, por isso, encontram-se peculiaridades amazônicas. Diante disso, é possível caracterizar o perfil dos trabalhadores desempregados dos sujeitos entrevistados. Aponta-se como uma das principais conclusões que as exigências para a entrada no mercado de trabalho se configuram intencionais e individualizam os mecanismos de acesso e permanência ao mercado de trabalho, porque potencializam a competitividade através dos critérios seletivos e garantem a existência de um exército reserva de mão de obra extremamente funcional à expansão do capital.

Palavras-chave: Desemprego, Qualificação Profissional, Precarização do trabalho, Precariado, Informalidade, Empregabilidade, Feminização do trabalho, Vale S/A, Parauapebas.

 

Fazer Download

 

 
Olga Myrla Tabaranã Silva
Seg, 14 de Setembro de 2015 14:25

SALÁRIO X TRANSFERÊNCIA DE RENDA: tensões no processo de reprodução social de usuários do Programa Bolsa Família (PBF) em Belém

Orientador: Prof. Dr. Reinaldo Nobre Pontes

Resumo: Este trabalho apresenta a discussão teórica e os resultados da pesquisa de campo que subsidiou a elaboração desta dissertação e objetivou analisar as concepções da categoria trabalho na realidade dos usuários do PBF, com o intuito de revelar de que forma esta categoria se apresenta na reprodução social dos beneficiários, dando destaque para as definições de renda do trabalho e renda do PBF para responder cientificamente às críticas que os usuários do PBF vêm recebendo como a ociosidade. O método utilizado se baseou na perspectiva histórico-dialética por ter como direcionamento o aprofundamento histórico e material das categorias que embasam a pesquisa e compreender que todo fenômeno a ser estudado faz parte de um movimento, essencial no processo de análise. A metodologia tem como alicerce a técnica de análise de conteúdo para sistematizar, organizar e analisar os dados coletados através de entrevistas semi-estruturadas com trabalhadores da Política de Assistência Social e usuários do PBF de Belém. Os principais resultados que esta pesquisa apresenta são: os usuários do PBF têm o trabalho manifestado em suas histórias de vida desde a infância, como todo e qualquer ser social; vislumbram o emprego (trabalho remunerado) como uma necessidade, diante das garantias e segurança que este proporciona, como o poder de consumo e o salário fixo, por exemplo; consideram que o PBF é uma complementação da renda por não ser suficiente para as demandas materiais próprias e de sua família; contam com outros tipos de renda e “ajudas” para sobreviver e almejam um emprego remunerado com acesso aos direitos sociais, porém, reconhecem que, fazem parte de uma parcela excluída desta forma de trabalho. Diante disso, esta pesquisa aponta que o trabalho é constante na vida dos usuários do PBF e que, por isso, não são acomodados, ocorre que, em sua maioria, eles fazem parte da parcela excluída das condições formais de trabalho e isso dificulta o acesso às atividades laborais e aos seus direitos sociais.

Palavras-chave: Trabalho. Política Social. Programa Bolsa Família.

Fazer Download

 

 


Copyright © 2017 Programa de Pós-Graduação em Serviço Social :: UFPA. Todos os direitos reservados.
Joomla! é um Software Livre com licença GNU/GPL v2.0.
Designed by Templatka.pl